Fenologia do juazeiro e Produção de mudas da carnaúba – LabCast: Episódio #01

Atualizado: Ago 4

Neste episódio, você irá conhecer dois trabalhos de iniciação científica de graduandos em Engenharia Florestal da UFRN.


Você pode ouvir o LabCast completo aqui:

Inicialmente, Fernanda Fonseca apresenta seu estudo sobre a “Fenologia do Juazeiro (Ziziphus joazeiro)”. A espécie, também conhecida como juá, é uma árvore com finalidades medicinais, cosméticas, forrageiras e diversos usos madeireiros, além da importância ecológica nas florestas nativas.

O estudo fenológico é uma investigação relevante para obter informações sobre o período e intensidade dos eventos reprodutivos das árvores. Isso permite por exemplo definir a melhor época para coleta dos recursos vegetais, como sementes que poderão ser utilizadas em programas de recuperação de áreas degradadas. O trabalho foi realizado em um fragmento de Floresta Estacional Decidual.

Entre os principais resultados, a Fernanda destaca que os eventos de produção de flores e frutos demonstraram padrão de agrupamento espacial, sendo esta uma característica importante como estratégia de sucesso reprodutivo do juazeiro. Os resultados serão importantes para subsidiar novas pesquisas sobre a espécie e contribuir para a conservação, manejo e uso sustentável.

Em seguida, Ageu Freire apresenta o trabalho sobre a “Germinação e Produção de Mudas da Carnaúba (Copernicia prunifera)”. A palmeira carnaúba tem destacada importância econômica e cultural na região de ocorrência, principalmente no semiárido nordestino, sendo o pó cerífero o principal produto de exploração e comercialização. O valor da produção na extração de ceras e fibras da carnaúba movimenta mais de 206 milhões de reais por ano.

No estudo, foram realizados testes de germinação de sementes da carnaúba, avaliando-se a escarificação das sementes e embebição em água. Foi realizado ainda um plantio experimental e mensuradas as taxas de sobrevivência e crescimento das mudas no campo. O Ageu destacou resultados satisfatórios no plantio experimental, com taxa de sobrevivência das mudas de 100% após quatro meses do plantio. Porém, observou-se redução na taxa de crescimento em altura em virtude do ressecamento das folhas, provavelmente efeito da perda de umidade do solo.

Referências dos trabalhos:

Fernanda Moura Fonseca Lucas. Padrões fenológicos e modelagem de nicho ecológico do Ziziphus joazeiro. 2018. Graduação em Engenharia Florestal - Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Orientador: Fábio de Almeida Vieira. Link.

ARAUJO, L.H.B. et al. Germinação de sementes da Copernicia prunifera: biometria, pré-embebição e estabelecimento de mudas. Enciclopédia Biosfera, v. 9, p. 1517, 2013. => PDF

SILVA, R.A.R. et al. Características biométricas dos frutos e sementes da palmeira Copernicia prunifera (Arecaceae). Revista de Ciências Agro-Ambientais. v.15, p.144-149, 2017. => PDF

Se preferir, veja imagens do LabCast:

#AquitemPropesqUFRN #AquitemCNPq #AquitemMCTIC

@UFRN @CNPq @MCTIC

86 visualizações

© 2016-2019 Fábio Vieira

Podcast..png
  • Facebook ícone social
  • Instagram
  • Twitter