Diversidade genética da Cattleya granulosa e do Catolé – LabCast: Episódio #03

Atualizado: Ago 4

Neste episódio, você irá conhecer mais dois trabalhos de iniciação científica de graduandos em Engenharia Florestal da UFRN, com Léia Níneke e Abidã Genesis.

Ouça o LabCast #03 aqui:

O entendimento dos níveis de variabilidade genética dentro e entre as populações são importantes para a definição de locais prioritários para a conservação in situ da espécie, além de indicar diversidade genética para ser explorada em programas de melhoramento genético e manutenção em bancos de germoplasma.

Para isso, são utilizados marcadores moleculares capazes de detectar polimorfismo na sequência de DNA das espécies vegetais, por exemplo o marcador dominante ISSR (entre sequências simples repetidas).

Léia Níneke apresentou seu estudo intitulado “Diversidade genética da orquídea Cattleya granulosa”. Esta orquídea é endêmica da Floresta Atlântica do litoral do Nordeste brasileiro, ocorrendo principalmente no Estado do Rio Grande do Norte (RN). É conhecida popularmente como “canela de ema”. Possui hábitos epifíticos, com potencial indicador biológico de qualidade de habitat. No entanto, atualmente se encontra na lista vermelha de espécies ameaçadas de extinção na categoria vulnerável (ver Martinelli e Moraes, 2013). O presente estudo foi realizado em três populações da orquídea no litoral norte do RN.

Entre os resultados, a Léia destacou que a diversidade observada sugere que apenas a população PIT (Pititinga) sofreu redução no tamanho efetivo populacional. Apesar da alta variação genética observada nas três populações de C. granulosa, a coleta predatória e a expansão imobiliária colocam em risco a integridade da espécie, justificando a necessidade de implantar estratégias de conservação.

Em seguida, Abidã Genesis apresentou seu trabalho sobre a “Diversidade genética da palmeira catolé (Syagrus cearensis)”. Se você assistiu o LabCast #02, já conhece um pouco sobre essa palmeira! A população amostrada se encontra em uma zona de transição entre áreas de Caatinga e fragmentos de Mata Atlântica na Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ), campus da UFRN em Macaíba/RN. Nos resultados e conclusões, Abidã destacou a necessidade do estabelecimento de áreas de manutenção in situ da espécie na região para que a variabilidade genética remanescente nas populações seja conservada.

Referências relacionadas aos trabalhos e espécies:

VIEIRA, Fábio de Almeida. Flor símbolo do Estado do RN! 2019. Disponível em: https://www.labgem.com.br/post/2019/05/20/flor-s%C3%ADmbolo-do-estado-do-rn. Acesso em: 27 maio 2020.

Léia Níneke de Lima Sousa. Diversidade genética da orquídea Cattleya granulosa Lindley (Orchidaceae). 2015. Graduação em Engenharia Florestal - Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Orientador: Fábio de Almeida Vieira. Link.

NEVES, A. G. S.; CHAGAS, K. P. T.; SALES, R. P.; COSTA, M. P.; FAJARDO, C. G.; VIEIRA, F. A. Seleção de iniciadores moleculares ISSR para estudos de variabilidade genética da Syagrus cearensis Noblick. Agropecuária Científica no Semiárido, v. 15, p. 228-231, 2019. PDF

Assista às imagens do LabCast #03:

#AquitemPropesqUFRN #AquitemCNPq #AquitemMCTIC

@UFRN @CNPq @MCTIC

33 visualizações

© 2016-2019 Fábio Vieira

Podcast..png
  • Twitter